Marte Precisa de Mães (2011)

O filme de animação, centrado na história de Milo, um menino de nove anos que tem a mãe abduzida por marcianos, teve a pior recepção de bilheteria da história para um filme com a marca Disney. Marte Precisa de Mães estava em cartaz em mais de 3 mil salas de cinema e mesmo assim arrecadou apenas US$ 1,725 milhões em seu primeiro dia, ou seja, um pouco mais de 1% de seu orçamento original, que era de US$ 150 milhões.

Stealth (2005)  

O filme de ação e ficção científica tinha potencial para dar certo financeiramente falando – era estrelado por astros de cinema como Jessica Biel e Jamie Foxx e era dirigido por  Rob Cohen, conhecido por sucessos como Velozes e Furiosos e xXx. Entretanto, o longa foi um dos maiores fracassos de bilheteria da história. Com o reajuste da inflação, o projeto deu um prejuízo de US$ 111,7 milhões ao estúdio.

John Carter (2012)  

O longa dos Estúdios Walt Disney é uma das produções mais caras da história. O filme, que mistura ficção científica e western, custou cerca de US$ 300 milhões. A trama narra a trajetória do personagem título, um veterano confederado da Guerra Civil dos Estados Unidos que acorda misteriosamente em Marte. O fracasso financeiro do projeto rendeu à Disney um prejuízo que varia entre US$ 80 e 120 milhões de dólares e o presidente do estúdio, Rich Ross, pediu demissão do cargo.

 O Portal do Paraíso (1980) 

Ambientado na década de 1890, no Wyoming, o filme foi um dos mais caros da história do cinema (na época, sem a correção da inflação, o custo foi de US$ 44 milhões). E foi também um dos maiores fracassos de bilheteria (arrecadou apenas US$ 3 milhões). Nem o diretor Michael Cimino, vencedor do Oscar por O Franco Atirador, foi o suficiente para fazer o projeto dar certo. O desempenho do longa no box-office foi tão ruim que o estúdio United Artists, responsável pela produção, faliu.

Pluto Nash (2002) 

Estrelado por Eddie Murphy e Rosario Dawnson, Pluto Nash é uma ficção científica que se passa na Lua em 2080. O filme não foi apenas uma fracasso de bilheteria – custou cerca de US$ 100 milhões e arrecadou apenas US$ 7 milhões -, mas recebeu também críticas incrivelmente ruins.

A Ilha da Garganta Cortada (1995)  

Anos antes do lançamento de Piratas do Caribe, A Ilha da Garganta Cortada abordou o tema “piratas” em sua trama. O longa se passa numa Jamaica do século 17 e é estrelado por Geena Davis e  Matthew Modine. O projeto chegou a entrar no Guinness como o filme menos lucrativo da história (custou cerca de US$ 100 milhões e arrecadou apenas US$ 11 milhões) e levou a produtora Carolco Pictures à falência.