O site BlouIN Art Info listou algumas obras cinematográficas marcantes sobre trajetórias de grandes artistas. Alguns filmes são mais conhecidos do público, como Frida, com a estrela Salma Hayek.  Confira:

Frida (2002)

O filme narra a vida da pintora mexicana Frida Kahlo, interpretada por Selma Hayek. O casamento com o muralista Diego Rivera (Alfred Molina), os diversos casos amorosos – inclusive com o intelectual marxista Leon Trotsky (Geoffrey Rush) – as experiências homossexuais, e o trauma após um acidente de ônibus catastrófico são episódios da história da artista que aparecem na trama. Hayek foi indicada ao Oscar pelo papel.

Pollock (2000)

Ed Harris dá vida a Jackson Pollock, considerado por muitos o pintor americano mais importante do século XX e um dos precursores de expressionismo abstrato no continente. Marcia Gay Harden vive a também pintora Lee Krasner, esposa de Pollock. Krasner é retratada no filme como uma das responsáveis por organizar a carreira do artista, que possuía sérios problemas com o abuso de álcool. Harris também assina a direção do longa.

Basquiat (1996)

O longa traz um relato sobre a carreira meteórica do pintor nova-iorquino Jean Michel Basquiat – morto em 1988, com apenas 28 anos de idade, após uma overdose de cocaína e heroína. O ator Jeffrey Wright vive o personagem título e David Bowie interpreta Andy Warhol, o grande mentor (e talvez criador) de Basquiat.

Anti-herói americano (2003)

American Splendor, tristemente traduzido para o português como Anti-herói americano, não é uma biografia formal mas mistura muito bem realidade e ficção. O filme é inspirado nos quadrinhos autobiográficos de Harvey Pekar, um quadrinista norte-americano e pessimista interpretado no longa por Paul Giamatti. Um dos destaques do filme é a narração, que foi inteira feita pelo próprio Pekar.

Van Gogh – Vida e Obra de um Gênio (1990)

Originalmente chamado de Vincent & Theo, o filme explora a relação entre os irmãos Van Gogh. Tim Roth interpreta o pintor holandês temperamental e Paul Rhys vive Theo, um negociador de arte que financiou a carreira de artista do irmão mais velho. A direção do longa é assinada pelo impecável Robert Altman.

Séraphine (2008)

Grande vencedor do César de 2009, o filme é baseado na vida da pintora francesa Séraphine de Senlis, interpretada por Yolande Moreau – vencedora do prêmio na categoria melhor atriz. Séraphine, que começou a carreira no início do século XX, era na verdade uma dona de casa de origem humilde que se interessava por pintura. Seu talento chegou a chamar atenção na época, mas seu estado mental instável e a Grande Depressão acabaram por ofuscar seu trabalho.

Love Is the Devil (1998)

O pintor britânico Francis Bacon é o personagem central dessa trama. O longa narra o relacionamento entre Bacon, vivido por Derek Jacobi, e seu amante e ex-criminoso Dyer, interpretado por um Daniel Craig pré-007. Vale lembrar que o filme conta um período relativamente curto da vida do artista: de 1963, quando ele conhece Dyer, até o suicído do amante, um dia antes da abertura de uma retrospectiva de Bacon no Grand Palais, em Paris, em 1971. –