Assim que foi lançado, no fim de janeiro, o mais recente clipe da Shakira, “Can’t Remember To Forget You”, que conta com cenas sensuais interpretadas ao lado de Rihanna enfrentou comentários homofóbicos do vereador colombiano Marco Fidel Ramirez.

O vereador cristão de Bogotá encaminhou um pedido à Autoridade Nacional de Televisão da Colômbia para que o vídeo fosse banido. A justificativa? “O novo vídeo de Shakira é um caso sem vergonha de lesbianismo e imoralidade. É um perigo para a juventude. Ele envia uma mensagem provocativa para pessoas fracas que podem ser contaminadas e induzidas a praticá-lo”, alegou.

Mas eis que, nesta terça (25), a cantora resolveu responder ao julgamento feito por Marco – qualquer semelhança com o Feliciano é mera coincidência. Em visita à “Fundación Pies Descalzos” (Fundação Pés Descalços), nova escola de Cartagena, que vai beneficiar cerca de 17000 crianças da cidade, Shakira se pronunciou.

Primeiro, ela se mostrou surpresa com o grande acesso que o clipe recebeu, reportou a EFE. “Não esperava tantas visualizações, que provavelmente devem ser reflexo da boa coreografia, de uma ideia que surgiu entre duas amigas com muita alegria”, disse ela. E brincou: “Rihanna é uma mulher muito acessível, muito simpática, muito humilde. E como o Piqué não me deixa fazer vídeos com homens, só me resta gravar com mulheres”.

Em seguida, emendou uma crítica ao vereador, que, segundo ela, deveria fazer algo mais produtivo:

“Em um país como o nosso, onde existem tantas necessidades, um sistema de saúde que precisa ser melhorado, um sistema de educação que tem que crescer, empregos que precisam ser gerados, um vereador gasta a sua voz e seu tempo para falar de um vídeo de uma artista como eu, significa que estamos muito mal de vereadores, não?”

Confira abaixo o videoclipe da cantora com Rihanna.