Quando Einstein tinha lá pelos seus 36 anos, 1915, ele estava morando em Berlim, enquanto sua ex-esposa, Mileva, e seus dois filhos, Hans Albert Einstein e Eduard “Tete” Einstein viveram seguros em Viena.

Em 4 de novembro do mesmo ano, depois de ter acabado de concluir a obra-prima de duas páginas que o catapultou para vida de celebridade internacional e de glória histórica, sua teoria da relatividade geral. Einstein enviou para seu filho de 11 anos de idade, Hans Albert a seguinte carta, encontrada posteriormente no livro: “ Letters of Great Americans to Their Children”, CArtas de Grandes Americanos para seus filhos – a mesma antologia maravilhosa que nos dá alguns dos maiores conselho de história, a sabedoria de Benjamin Rush sobre viagens e vida, os conselhos de Sherwood Anderson sobre a vida criativa. Einstein, que se orgulha de suas realizações intelectuais, fala com os ritmos de absorção criativa como o combustível para o motor interno de aprendizagem.

‘Meu querido Albert,

Ontem recebi sua querida carta e fiquei muito feliz com isso. Eu já estava com medo de que você não fosse escrever mais pra mim. Você disse pra mim quando fui a Zurique que é estranho (constrangedor) pra você quando vou lá. Portanto eu acho melhor nos encontrarmos em outro lugar, onde ninguém pode interferir no nosso conforto. De qualquer forma eu verei você, assim como todos os outros anos que ficamos um mês junto, quero que você saiba que tem um pai que te ama. Você também pode aprender muitas coisas boas de mim, coisas que nenhum outro conseguiria te oferecer facilmente. O que tenho alcançado com meu trabalho árduo não deve servir apenas para estranhos, deve servir principalmente para meus filhos. Esses dias concluí uma das mais belas obras de minha vida, quando você for maior, vamos conversar sobre isso.

Estou muito satisfeito que você encontrou alegria com o piano. Este e a carpintaria são, na minha opinião, as melhores atividades para sua idade, melhor até mesmo do que a escola. Porque essas são as atividades que se encaixam muito bem numa pessoa jovem como você. Principalmente tocar no piano que te alegra, mesmo se o professor não atribuir esses. Essa é a melhor maneira para aprender mais, essa que quando você está fazendo com tanto prazer que você não percebe o tempo passar. Às vezes sou tão envolvido com meu trabalho que eu esqueço a refeição do meio-dia . . . .

Esteja com Tete, beijado pelo seu

Papa.

Lembranças a Mama.”