O telescópio da NASA, Wide-Field Infrared Explorer (WISE), capturou recentemente uma foto da nebulosa “Rosette”, no espaço distante. A nebulosa Rosette, também conhecida como NGC 2237, é uma nuvem de formação de estrelas. Se você for um astrônomo amador, pode avistá-la facilmente com um pequeno telescópio, ou até mesmo com um bom par de binóculos.

Localizada na Via Láctea, o buraco no meio da nuvem é causado por grandes quantidades de radiação estelar que corroem as partículas da nebulosa. O resultado é essa formação floral vista na fotografia.

O telescópio captou imagens em quatro diferentes comprimentos de onda no espectro infravermelho de dentro da constelação “Monoceros”, ou “Unicórnio”, de onde se pode observar essa turbulência “floral” de gás, poeira e estrelas, que fica a cerca de 4.500 a 5.000 anos-luz de distância.

As cores da nebulosa representam diferentes elementos de seu interior. Como o WISE capturou a foto – na verdade, uma imagem composta – usando câmeras de infravermelho, pode-se dizer que o azul e o turquesa representam comprimentos de onda de 3,4 e 4,6 microns, que é a luz das estrelas, enquanto os verdes e vermelhos indicam a luz de poeira quente em 12 e 22 microns, respectivamente.

Já o traço verde brilhante na parte inferior esquerda da fotografia, curiosamente, é na verdade um elemento extra à nebulosa; como a WISE tirou múltiplas imagens (que formam o composto final), acabou capturando o rastro de um outro satélite junto.