No dia 15, centenas de admiradores alinharam-se ao redor de uma praia em Charleston, Carolina do Sul (EUA), para se despedirem de uma tartaruga marinha gigante que eles conhecem por Briar. A multidão vibrou e as câmeras fotografaram enquanto o animal de 200 quilos correu ansiosamente de volta para o mar. As informações são do The Dodo.

Briar foi encontrada em maio do ano passado, lançada à beira do mar perto de Myrtle Beach, correndo grande risco de morte, com seu corpo magro e coberto de cracas – sua saúde estava tão debilitada que ela não conseguia nem ao menos se locomover. Quando foi resgatada e levada ao Sea Turtle Hospital no Aquário da Carolina do Sul, seus sinais vitais estavam tão fracos que os veterinários temeram que ela não sobrevivesse à semana. Mas, para a surpresa deles, ela sobreviveu.

No decorrer dos meses seguintes de tratamento nas mãos cuidadosas de seus salvadores, a cansada tartaruga estava livre das cracas e começou a ganhar peso novamente. Com uma dieta regular de caranguejos e peixes, Briar rapidamente recuperou 50 quilos, voltando à marca de peso saudável.

Mas, de repente, aparentemente sem nenhum motivo, o apetite de Briar começou a desaparecer assim que ela parou de procurar por seus alimentos dentro da piscina. Não demorou muito, os veterinários descobriram que ela havia desenvolvido catarata em seus olhos e não podia mais enxergar. Sabendo bem que Briar não poderia ser libertada se ela estivesse cega, o aquário procurou por alguém que fosse capaz de ajudar e, felizmente, entraram em contato com a Dra. Ann Cook, especialista em oftalmologia veterinária do Animal Eye Care of the Lowcountry.

No último mês de abril, após a Dra. Cook passar vários meses pesquisando cataratas em animais marinhos, ela e o pessoal do aquário fizeram uma cirurgia que mudaria sua vida e devolvendo à Briar sua visão. Mas, antes que considerassem a soltura da tartaruga, seus cuidadores precisavam ter certeza de que ela poderia enxergar o suficiente para encontrar sua própria comida, então eles monitoraram de perto seus hábitos alimentares.

“Por algumas semanas, Briar parecia estar sofrendo de um caso semelhante ao de encarar um palco, porque ela preferia se alimentar de caranguejos à noite enquanto ninguém estava observando,” escreveu o aquário. “Nós finalmente pudemos ver Briar pegar os caranguejos com sucesso e tivemos certeza de que ela seria capaz de sobreviver na natureza por conta própria!”. Após mais de um ano se recuperando em cativeiro, Briar chegou a tocar as vidas das pessoas por sua incrível vontade de sobreviver apesar de todas as dificuldades contra ela.

Mas, enquanto ela deslizava sob as ondas, provavelmente para nunca mais ser vista, as pessoas que estavam lá observando lembraram-se não apenas da resiliência da vida – mas também das coisas maravilhosas que podem acontecer quando as pessoas simplesmente reservam tempo para ajudar.