É comum manter pacientes acordados durante uma cirurgia no cérebro, para que os médicos possam se certificar de que está tudo correndo bem. Mas no caso do violinista profissional Roger Frisch esse processo foi um pouco diferente.

Há alguns anos, Frisch começou a apresentar tremores devido a complicações no sistema nervoso, o que vinha atrapalhando suas apresentações musicais. Seria necessária uma cirurgia que implantasse eletrodos em seu cérebro, mas que ao mesmo tempo fosse precisa.

Os médicos do hospital Mayo Clinic precisaram então desenvolver uma tecnologia para detectar se os eletrodos estavam sendo colocados no lugar correto.

Frisch recebeu um arco equipado com sensores de movimento e seus médicos pediram que ele tocasse o violino durante a operação — desta forma era possível determinar se os eletrodos estavam bem posicionados, pois a performance de Frisch melhorava quando os médicos acertavam.

O procedimento era arriscado e não havia garantias de que daria certo. Mas a cirurgia foi um sucesso e o hospital divulgou então um vídeo contando a história de Frisch e mostrando como o uso de sensores de movimento pode ajudar futuras operações a se tornarem ainda mais precisas.