A Libéria é um dos países mais atingidos pela epidemia do ebola na África Ocidental, que já matou mais de 3.400 pessoas na região.

São ao menos 2.069 mortos somente na Libéria, onde o sistema de saúde está à beira do colapso. O desafio não é apenas logístico, mas também de pessoal capacitado: o país conta com apenas 51 médicos para uma população de mais de 4 milhões de pessoas.

Segundo a Organização das Nações Unidas, o número de casos do ebola dobra a cada dia e o país depende do trabalho de organizações humanitárias, como a Médico Sem Fronteiras, que divulgou a história de Mamadee, de 11 anos.

Ele foi infectado pelo vírus, mas foi curado, recebeu alta e comemora exibindo um bom gingado.

O ebola, no entanto, matou sua irmã.