Essa é uma ótima perguntam, e eu acredito que muitas pessoas, me incluindo, já se pegaram pensando isso. Eu pensei sobre isso e li vários textos. Aqui está minha resposta:

O karma é uma filosofia hindu, então vamos tomar como base o texto clássico hindu “Ramayana”, e seus personagens Ravana e Rama.

Começo com uma pergunta: quem é mais bem sucedido – Rama ou Ravana? Vamos ver alguns fatos:

Ravana – havia vencido todos os deuses, tinha uma capital, onde todos os edifícios eram de ouro (Golden Lanka), sua fama se espalhou por todo o mundo, o seu poder foi reconhecido e temido por todos. Mas – foi enganador, corrupto, desrespeitoso, anti-social, egoísta, egocêntrico, etc. Muito semelhante a um político corrupto moderno de hoje em dia.

Rama – tinha todo o conhecimento das escrituras de Vedas, muito humilde, muito bom administrador, sociável, dentro da lei, mas – foi condenado a 14 anos de exílio, antes de ser coroado. Sua esposa Sita foi raptada enquanto ele estava na floresta, teve de sair procurando ela, em seguida, novamente se separaram enquanto ele era um rei – basicamente, foi sempre uma luta em sua vida. Muito semelhante a uma “boa pessoa”.

A moral da história é que Rama foi bem sucedido – certo? Mas no mundo de hoje, nós diríamos que Ravana (leia pessoas corruptas) que é o bem sucedido. Qual a diferença? Onde estamos errando? Bom, as respostas estão no mesmo livro que definiu karma – o Vedas.

Se você analisar melhor, nós dizemos que Rama foi bem sucedido porque é o que está escrito no Ramayana e esse é o senso comum sobre a história. A coisa mais importante nesse caso é, karma e sucesso são definidos no mesmo lugar no livro. E se nesta pergunta estivéssemos falando das definições de dois lugares diferentes – karma definido na literatura e “sucesso” definido neste mundo científico moderno.

Vamos olhar o que é sucesso de acordo com os livros?

O Vedas define uma pessoa bem sucedida como evoluído espiritualmente, quando ele superou a raiva, a maldade e a ganância. Essa pessoa não possui afinidade por poder ou dinheiro porque ela percebeu que a verdade suprema é que ambas as coisas “não são reais” – todos estes são apenas fontes de escravidão que obrigam uma pessoa a desviar-se do caminho que o leva em direção a Deus. Esta pessoa está sempre satisfeita e feliz – independentemente de uma perda ou uma vitória.

Mas no mundo moderno, todas as definições mudaram – poder e dinheiro formam a matriz para comparar pessoas. Respeito e status importam mais do que saber diferenciar o certo do errado. De acordo com o texto, isso é o que chamamos de maya ou falsas atrações e tentações que são fontes de escravidão a deste mundo físico.

Então como você pode ver, pessoas corruptas estão beeeeeeeem longe de serem bem sucedidas – de acordo com a literatura. Se você acredita em karma, você deve se referir ao sucesso como está presente na literatura. Este é realmente o que é referido por “O que você semear, você deve colher”. Se você é corrupto, você seria mais tentado em relação ao dinheiro e poder, levando-o à escravidão e, finalmente, ao fracasso.