Os jogadores gays – também auto-intitulados gaymers – são uma comunidade crescente, mas onde estão os personagens LGBT nos jogos?

A representação dos grupos LGBT na história dos videogames possui, sem dúvidas, altos e baixos. Afinal, conforme um grupo passa a ser mais aceitado, ele pode acabar sendo tratado de forma errada e suas representações podem acabar caindo em estereótipos. O personagem gay está lá, mas é parte de uma piada.

Podemos citar personagens vergonhosos como o narcisista Vega de Street Fighter II, o vilão cross-dresser Alfred Ashford em Resident Evil: Code Veronica e o mafioso titular do jogo Grand Theft Auto IV: The Ballad of Gay Tony — mas o futuro nos promete representações melhores. A franquia Final Fantasy, por exemplo, passará a permitir o casamento gay entre os personagens (leia mais abaixo).

Abaixo, uma lista de jogos videogames que acertaram na representação de homossexuais.

The Last of Us/Left Behind (2013)

Bill e Ellie.

Um dos personagens nesse jogo (extremamente legal) sobre um apocalipse zumbi é um cara durão chamado Bill, que é gay e não segue nenhum estereótipo. Foi revelado no conteúdo disponível para download, Left Behind, que a personagem principal, Ellie, é lésbica.

Mass Effect 3 (2012)

Steve Cortez, à direita, quer Shepard – independentemente do seu sexo!

A cientista alienígena Liara T’Soni aparece em todas os 3 jogos de Mass Effect e se sente atraída pel@* Comandante Shepard (o personagem jogável, cuja aparência, gênero e histórico são todos customizáveis), independentemente do sexo del@. Steve Cortez, outro personagem de ME3, também se sente atraído por Shepard.

*O uso do “@” ao final de algumas palavras indica a indeterminação do gênero de Shepard.

The Sims (2001)

A icônica série de jogos de simulação sempre permitiu aos jogadores que desenvolvessem relações de todos os tipos. No início deste ano, o governo Russo proibiu o jogo para menores de 18 anos apenas porque nele é possível que dois personagens do mesmo sexo se casem.

Fable (2004)

“Para onde vamos agora, querido?” “Para o futuro.”

Este jogo foi um dos primeiros jogos famosos a oferecer a opção de romances entre pessoas do mesmo sexo dentro do jogo, inclusive casamentos. O desenvolvedor do jogo, Peter Molyneux, chegou a dizer em uma entrevista que o casamento gay foi algo que aconteceu naturalmente no jogo, já que nele é possível fazer as próprias escolhas. (E, no terceiro jogo da franquia, de 2010, é possível que casais gays adotem crianças!)

Dragon Age II (2011)

Um casal gay em uma época de duelos e de dragões… Será que foi daí que George R. R. Martin tirou a inspiração para o romance entre Loras Tyrell e Renly Baratheon em Game of Thrones?

Na sequência do Dragon Age: Origins, da Bioware, você pode jogar tanto numa versão masculina quanto numa versão feminina de Hawke, Campeão de Kirkwall, e ter romances com personagens de ambos os gêneros. A Bioware foi vanguardista ao incluir opções de gays e lésbicas como personagens jogáveis.

Star Wars: Knights of the Old Republic (2003)

Outro jogo da Bioware, o RPG Old Republic introduz Juhani, a primeira lésbica do universo Star Wars (ela é uma Amazona Jedi e tem um sabre de luz!!!). Visto que o jogo é repleto de escolhas que o jogador precisa fazer, com Juhani não é diferente – a sexualidade da personagem, porém, só é descoberta depois de se fazer as escolhas (afinal, jogadores preconceituosos também existem!). Se o jogador escolhe matá-la, uma outra Amazona Jedi se enfurecerá e prometerá vingança a ele, já que as duas “passaram muitas noites sozinhas sob as estrelas”. Se o jogador escolhe deixá-la viver, em certo momento do jogo, ela se declarará apaixonada por uma outra personagem, Revan.

Gone Home (2013)

Nesse jogo, você é a jovem Kaitlin Greenbriar, que acaba de voltar de uma viagem ao exterior e descobre que a casa para a qual sua família acabou de se mudar está estranhamente vazia. Gone Home trata-se de resolver mistérios, procurando pistas e, também, encontrando trechos de um diário sobre (spoiler) um romance lésbico entre duas jovens.

Read Only Memories (2014)

Essa aventura retro-cyberpunk foi criada pelo fundador da maior convenção de gaymers, a GaymerX – Matt Conn – e ele foi desenvolvido com o dinheiro arrecadado por uma campanha no Kickstarter, que conseguiu arrecadar mais de 64 mil dólares. Nesse jogo, você é um jovem jornalista invadindo os sistemas de Neo-San Francisco, uma cidade povoada por personagens excêntricos de todas as orientações.

Metal Gear Solid: Sons of Liberty (2001) / MGS3: Snake Eater (2004)

O casal Coronel Yevgeny Volgin e Major Ivan Raikov.

Parte da série de jogos criada noss anos 80, esse jogo de tiro e stealth (furtividade, em português) de 2001 inclui um vilão bissexual chamado Vamp, cuja maldade é aliviada pela sua trágica história que envolve a morte de sua família em uma explosão. No jogo de 2004, Metal Gear Solid: Snake Eater, é também sugerido um romance entre o Coronel Yevgeny Volgin e o Major Ivan Raikov.

Final Fantasy XIV: A Realm Reborn (2013)

“Prepare os papéis, nós vamos nos casar (assim que a atualização 2.4 for lançada).”

O jogo online Final Fantasy XIV foi lançado em 2013 e ainda não era possível que personagens do mesmo sexo se casassem, mas foi anunciado durante a E3 (feira dedicada a jogos eletrônicos) por Naoki Yoshida, seu produtor e diretor, que uma atualização será lançada e a partir dela isso será possível!