Como reforçar nas redes sociais a ideia de que a mulher é dona do próprio corpo? A ilustradora mineira Carol Rossetti encontrou no desenho a ferramenta certa para lutar contra o machismo e espalhar ideias que tornam a mulher mais livre, segura e feliz.

Da celulite à opção por não ter filhos e do shortinho ao sexo casual, Carol Rossetti usa desenhos e frases certeiros. Mas o feminismo e o empoderamento da mulher não é o único tópico a ser abordado pela arte da mineira.

Na sequência, a ilustradora também abordou temas como o racismo e a homofobia. E se esses problemas são universais, nada mais justo do que permitir que falantes de outras línguas compreendam essas belas ilustrações, não é mesmo? Para isso, ela contou com ajuda na tradução para o inglês, o espanhol, o russo, o hebreu e o italiano!

Confira algumas das ilustrações e compartilhe essa ideia!

  

“Chiara é uma engenheira e ela já cansou de ouvir que ‘mulheres e matemática não combinam’. Relaxa, Chiara. Aqueles que acham que o gênero determina a performance intelectual com certeza não têm um bom raciocínio lógico.”

“Jessica sempre foi magra e fica chateada quando ouve pessoas dizer ‘Homens a sério gostam de curvas’”; “Jessica, seu corpo não é para ‘homens a sério amarem’. Você não tem de fazer nada para agradar a ninguém senão a você”.

“Alina – bissexual, mas muitos dizem que isso não existe, que ela só é indecisa e está confusa. Se ela não está ‘alinhada’ com os pensamentos dessas pessoas, é só porque o amor que a Aline sente supera rótulos. Sua orientação sexual não requer aprovação pública, Alina!”

“Alice gosta de fazer sexo casual, porém suas amigas dizem que ela ‘não se valoriza’”; “Alice sabe que sua vida sexual não tem nada a ver com seu valor”.

“Marianna sempre adorou ir à praia. Mas, de uns anos pra cá, ela começou a ouvir uns comentários maldosos sobre seu corpo, e até sugeriram que comprasse um maiô e aposentasse o biquíni. Marianna, seu corpo não é objeto de decoração e não tem como função agradar o olhar alheio. Vá para a praia do jeito que você se sentir bem. Quem não gostar do seu visual pode sempre olhar para o outro lado.”

“Maíra adora seu afro! Só que já disseram por aí que seu cabelo é feio, é grosseiro, é ruim. Maíra, não alisa por causa disso, não. Seu cabelo é memória, ancestralidade, beleza, identidade, força e MUITO amor! Seu cabelo, além de lindo, é só seu. Você é quem manda.” (Imagens: Carol Rossetti)

Todas as imagens foram retiradas do facebook da artista, então não se esqueça de curtir a página dela!