Um informe divulgado pelo Willians Institute afirmou que mais da metade dos atores gay, bissexuais e transgêneros acreditam que os diretores são preconceituosos.

A pesquisa faz parte da iniciativa thinktank, da Universidade da Califórnia, que estuda diversos temas LGBT.

Segundo os dados resultantes da pesquisa, mais de 50 % dos entrevistados afirmou ter ouvido algum comentário preconceituoso por parte de diretores ou cineastas, assim como 1/3 respondeu já ter visto alguém passar por isso durante o trabalho.

Segundo o site O Globo, “Enquanto 53% doas atores e atrizes gays assumem suas orientações sexuais para seus companheiros de profissão, o estudo descobriu que apenas 36% deles o confessam a seus agentes, e só 13% “saem do armário” para os executivos da indústria. Um quinto dos homens e 13% das mulheres homossexuais afirmam que já sofreram discriminação no ambiente de trabalho”.

Os pesquisadores concluíram que muitos artistas LGBT encontram “barreiras substanciais para enfrentar quando buscam emprego”. Entretanto, 72% dos profissionais gays que assumiram sua sexualidade publicamente afirmam que o fato não afetou suas carreiras e até aconselham os colegas de profissão.

Infelizmente o problema não pára por aí. De acordo com outros relatórios publicados recentemente, percebe-se que as mulheres também sofrem preconceito em Hollywood. Segundo uma pesquisa encomendada pelo Festival de Sundance no ano passado, as cineastas do sexo feminino enfrentam muito mais dificuldades em Hollywood, apesar de serem muito ativas e presentes no mercado independente. Outro informe, publicado em julho, mostra que 75% dos empregados de grandes blockbusters são homens.