(Foto: thetrippytrip.tumblr.com)

A idosa tem apoiado a comunidade LGBT desde que as suas duas filhas se assumiram lésbicas logo após a primeira parada do Orgulho LGBT de Nova Iorque em 1970. Ela comparece até sozinha se suas filhas não puderem acompanhá-la.

Ficando no mesmo lugar todo ano (Na esquina da 18ª com a 5ª Avenida), nos últimos anos ela tem levado sua cadeira de rodas para descansar se está muito calor.

(Foto: Facebook: dustyrebel)

Francis contou ao Buzzfeed que ela tem comparecido a Parada LGBT de Nova Iorque “desde o começo”.

“Desde o começo da parada, eu vou e mostro minha placa,” ela disse.

(Foto: Sally Goldin)

“A placa toca as pessoas, particularmente aqueles que os pais os rejeitaram. A resposta é sempre muito legal, ela me dá vontade de continuar.”

A placa original simplesmente dizia, “Eu adoro minhas filhas lésbicas” ela só adicionou “As mantenham seguras” em 1993, quando Francis foi ao histórico protesto LGBT em Washington DC.

(Foto: Sally Goldin)

Ela disse que é porque uma placa de protesto exige mais.

Atrás da placa diz “uma mãe de lésbicas orgulhosa”.

(Foto: Andrew Burton / Getty Images)

Em 1997, ela disse ao Washington Post que “a sociedade permite a descriminação de gays e lésbicas… as diferenças enriquecem a todos nós.”

“Diferenças enriquecem a todos nós” (Foto: Sally Goldin)

As filhas de Francis acrescentaram que quando pessoas mais novas vêem a placa e pedem seu apoio, ela geralmente escreve para os pais e os encoraja a apoiar os seus filhos.

“Eu acho que mudei a mente de algumas pessoas e eu sou feliz por isso,” ela disse.

“Todos devem apoiar seus filhos gays e filhas lésbicas, que estão perdendo muito na vida se não tiverem apoio”.

(Imagem: Twitter: @lesbiansjpg)