A maioria dos LGBT conhece alguma pessoa que foi expulsa de casa após sair do armário. Muitas vezes, o baque de se assumir gay para os familiares é tão grande, que provoca rompimento das relações, agressões físicas e até mortes.

Depois disso, temos inúmeros cidadãos desamparados, sem saber pra onde ir, sem ter pra quem pedir socorro. Mas isso pode mudar e você pode ajudar.

Conheça o jornalista Iran Giusti, que abre as portas de seu apartamento desde 2015 para receber LGBTs que foram expulsos de casa. O acolhimento caloroso foi se espalhando boca a boca e a demanda aumentou demais. Por conta disso, Iran resolveu expandir a ideia e criou o projeto Casa 1, um espaço de cultura e acolhimento que será localizado no centro de São Paulo.

O objetivo do local é funcionar como um centro de abrigo que vai proporcionar oportunidades de socialização para a vida dos abrigados, com palestras, cursos e workshops abertos ao público em geral. A Casa 1 também contará com o trabalho de voluntários para atender demandas específicas.

No entanto, para ser colocada em prática, a iniciativa precisa da colaboração do público. E para conseguir financiar essa empreitada, o jornalista lançou uma campanha coletiva para arrecadar fundos e, assim, pagar o aluguel do imóvel pelo período de um ano. Caso essa primeira meta seja alcançada, o intuito é garantir o atendimento de oito moradores, em média.

De acordo com Iran, a casa terá uma gestão autossustentável, e as próprias atividades deverão custear a manutenção do imóvel. O Superpride produziu o documentário abaixo, para você entender um pouco o sofrimento de pessoas LGBTs que são expulsas de casa.