A atriz Emma Watson, nomeada há seis meses como Embaixadora da Boa Vontade da Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres (ONU Mulheres), fez um discurso emocionado na sede da Organização das Nações Unidas, em Nova York, no último sábado (20). Ela foi a responsável por lançar a campanha HeForShe (Ele Para Ela, em português), que pretende divulgar entre os homens a ideia similar do feminismo e da luta pela igualdade de gêneros.

Emma explica que da mesma maneira que as mulheres são discriminadas e tratadas com desrespeito em certas ocasiões, os homens também enfrentam a pressão social. “Já vi homens sofrendo de doenças mentais e incapazes de pedir ajuda por medo de que isso soe menos “macho”. Fato é que no Reino Unido o suicídio é a principal causa de mortes entre os homens entre 20 e 49 anos, superando acidentes de carro, câncer e doenças do coração”, disse.

“Já vi homens serem frágeis e inseguros por terem uma imagem distorcida do que é o sucesso masculino. Eles não têm os benefícios da igualdade de gênero assim como nós”. A atriz disse ainda que seu discurso era um “convite formal” para que eles se juntem à causa.

Quero que os homens participem disso para que suas filhas, irmãs e mães possam ser livres do preconceito e para que seus filhos tenham permissão de serem vulneráveis e humanos – que parem de abandonar algumas partes de si e sejam a versão completa e verdadeira do que podem ser”, completou.

A atriz, estrela da série Harry Potter, comentou ainda que tornou-se quem é hoje devido a liberdade e possibilidade de estudar e tomar suas próprias decisões sem sofrer pressão por ser mulher, mas que, mesmo assim, percebeu as diferenças entre os sexos ao longo de seus 24 anos. “Comecei a sofrer a pressão da sexualidade aos 14 anos pela imprensa. Aos 15, vi que minhas amigas pararem de fazer esporte com medo de ficarem musculosas”.

Aplaudida diversas vezes durante os mais de 10 minutos em que discursou, a atriz registrou ainda o que feminismo significa e convidou os homens a se juntarem à causa: “feminismo é a crença de que homens e mulheres devem ter direitos e oportunidades iguais, sejam políticos, econômicos e sociais”.