O que é coisa de mulher? Uma série de lindas ilustrações criada pela ilustradora Raquel Vitorelo nos dá uma lição de história e mostra grandes mulheres e suas conquistas. Por que coisa de mulher é o que ela quiser que seja.

Dandara dos Palmares é uma heroína brasileira. Viveu no século XVII e foi uma das lideranças de Palmares, tendo inclusive participado de ataques e defesas.

Harriet Tubman (1822 – 1913), abolicionista que libertou centenas de escravos durante a Guerra de Secessão nos EUA, e se não bastasse, depois participou também do movimento sufragista em Nova York.

Murasaki Shikibu foi uma romancista e poetisa japonesa, além de dama de companhia da corte imperial do Período Heian. Entre os anos 1000 e 1012, Murasaki escreveu a obra Genji Monogatari (O Conto de Genji), considerado o primeiro romance literário do mundo. Em pouco tempo a obra se tornou um clássico pelas suas qualidades. Murasaki também acabou ajudando na consolidação da língua japonesa enquanto língua escrita.

Nong Toom foi campeã de Muay Thai e hoje ensina o esporte para crianças na academia que fundou, além de criar programas de apoio à comunidade LGBT. Toom se tornou lutadora para poder oferecer uma vida melhor para seus pais de origem pobre. Ela é “katoey” (mulher trans), e participava de competições de Muay Thai usando batom vermelho – e ganhava.

Marta Vieira da Silva foi por cinco vezes consecutivas premiada como a melhor jogadora de futebol do mundo. Recentemente se tornou a maior goleadora das Copas femininas com 15 gols, e está perto de alcançar o alemão Miroslav Klose que alcançou 16 gols na última Copa masculina.

Frida Kahlo foi uma pintora mexicana. Sua arte já foi descrita como folclórica, surrealista, primitiva e moderna. Para Frida, que abandonou a medicina para pintar, sua arte era simplesmente sincera sobre a sua realidade.

Simone de Beauvoir (1908 – 1986) foi uma escritora e filósofa francesa. Entre diversos artigos, ensaios, romances e monografias, escreveu “O Segundo Sexo” em 1949, uma análise da opressão contra a mulher na sociedade. Hoje, o livro é considerado um “clássico” da literatura feminista.

Nina Simone foi uma cantora, compositora, pianista e ativista estadunidense. Em 1964, Nina escreveu Mississipi Goddam, uma música que se tornaria um hino simbólico do movimento pelos direitos civis nos EUA.