É difícil traçar um panorama preciso do lugar que o Brasil ocupa em relação ao mundo diante da multiplicação de rankings globais, lançados entre 2013 e 2014, que incluem o país.

Há más notícias: quando se trata do ensino de matemática, o Brasil está entre os piores do globo. Várias de nossas cidades constam entre as mais violentas.

Em compensação, os brasileiros se dizem o 24º povo mais feliz do planeta e a qualidade de nossa democracia não foi considerada ruim pela Economist Intelligence Unit.

Mas o fato é que, na maioria dos casos a seguir, o país parece estar no meio do caminho: longe dos piores, mas não perto o suficiente dos melhores. Confira!

1 – Educação – 88º lugar do mundo

Posição: 88ª

Países analisados: 122

Em seu Relatório de Capital Humano, o Fórum Econômico Mundial (WEF) coloca o Brasil entre os lanternas quando avalia qualidade da educação. Educação brasileira fica entre 35 piores em ranking global.

2 – Piores congestionamentos – 3º lugar do mundo

Posição: Rio de Janeiro (3ª); São Paulo (7ª)

Cidades analisadas: levantamento global

O Brasil teve duas representantes entre as 10 cidades com mais engarrafamentos no mundo, segundo estudo Traffic Index, divulgado pela empresa holandesa Tom Tom.  Onde as pessoas perdem mais tempo em congestionamentos.

3 – Sensação de Corrupção – 72º lugar do mundo

Posição: 72ª
Países analisados: 177

Segundo a Transparência Internacional, a percepção sobre a corrupção no Brasil piorou três posições em 2013 em relação a 2012.

4 – Conhecimento em matemática – 58º lugar do mundo

Posição: 58ª

Países analisados: 65

No PIsa, o mais importante teste global para medir o conhecimento dos jovens, o Brasil amargou um dos últimos lugares em matemática.

5 – Belas praias – 4º lugar do mundo

Posição: Baía do Sancho, Fernando de Noronha (4º); Praia de Lopes Mendes, em Ilha Grande, Rio de Janeiro (7º)

Países analisados: levantamento global

O ranking Traveler’s Choice, feito pelo site de viagens TripAdvisor, elegeu os destinos considerados como os mais belos já visitados pelos turistas, segundo os mesmos.

6 – Cidades para jovens – 17º lugar do mundo

Posição: São Paulo (17ª)

Cidades analisadas: as maiores do mundo

Levantamento da consultoria Decode e do World Urban Forum avaliou as maiores cidades do mundo pra montar ranking com os melhores lugares para jovens entre 15 e 29 anos morarem.

7 – Materialismo – 4º lugar do mundo

Posição: 4ª

Países analisados: 20

Quase metade dos brasileiros (48%) mede seu sucesso pelas coisas que tem segundo pesquisa do Instituto Ipsos sobre tendências globais. O índice é bem maior que a média mundial.

8 – País para envelhecer – 31º lugar do mundo

Posição: 31ª

Países analisados: 91

Pesquisa feita pela Global AgeWatch usou critérios como saúde, economia, emprego e educação para avaliar os melhores países do mundo para envelhecer.

9 – Pessoas poderosas – 20º lugar

Posição: 20º lugar (Dilma Rousseff)

Países analisados: De qualquer país

A presidente Dilma Rousseff é a 20ª pessoa mais poderosa do mundo, segundo a última eleição da revista norte-americana Forbes.

10 – Nível de Inglês – 38º lugar do mundo

Posição: 38ª

Países analisados: 60

Segundo Índice de Proficiência em Inglês 2013, elaborado pela empresa Education First (EF), o Brasil se enquadra na categoria de nível “baixo” em sua capacidade de se comunicar na língua inglesa.

11 – Chance de levar um tiro – 9º lugar do mundo

Posição: 9ª

Países analisados: 100

No Brasil, morreram mais pessoas (192.804) vítimas de homicídio que nos 12 maiores conflitos armados no mundo, segundo o Mapa da violência 2013, que usa dados da OMS.

12 – Restaurante – 6º lugar do mundo

Posição: Restaurante D.O.M, de Alex Atala – 6º lugar

Países analisados: levantamento global

O ranking elaborado pela revista Restaurant é considerado o “Oscar” da gastronomia mundial.

13 – Reputação – 21º lugar do mundo

Posição: 21º lugar

Países analisados: 50

Quando se trata de economia, ambiente atrativo e eficiência de governo, o Brasil é o 21º país com a melhor reputação em ranking da consultoria Reputation Institute, à frente dos EUA e de qualquer outro da América Latina.

14 – Malha viária – 4º lugar do mundo

Posição: 4ª

Países analisados: levantamento global

Com 1.580.964 quilômetros de estradas, o Brasil está entre os primeiros colocados em ranking dos países com malhas rodoviárias mais extensas.

15 – Lugar para ser mãe – 78º lugar do mundo

Posição: 78ª

Países analisados: 176

Pesquisa realizada pela ONG Save the Children, divulgada pela Fundação Abrinq, leva em consideração dados sobre saúde da mulher, saúde infantil, educação, bem-estar econômico e participação política feminina.

16 – Cidades mais violentas – 6º lugar do mundo

Posição: Maceió (AL) – 5º lugar, mais outras 15 cidades aparecem entre 50 cidades mais violentas do mundo

Cidades analisadas: levantamento global

De acordo com o Conselho Cidadão Para a Segurança Pública e Justiça Penal, uma ONG do México, o Brasil tem nada menos do que 16 cidades entre as 50 mais violentas do mundo.

17 – Honestidade – 2º lugar do mundo

Posição: São Paulo (2º), Belém (4ª), Salvador (5ª), Bento Gonçalves (8º), Dourados (10º), Rio de Janeiro (12º)

Países analisados: 16 (só o Brasil teve mais de uma cidade analisada)

Nessa pesquisa bastante informal, a revista Reader’s Digest “perdia” carteiras em ruas movimentadas e contava quantas eram devolvidas. SP só perdeu para Helsinque, na Finlândia.

18 – Cidades caras para sair à noite – 11º lugar do mundo

Posição: Rio de Janeiro (11ª)

Cidades analisadas: 49 cidades dos 50 países mais visitados do mundo

O levantamento TripIndex, do site Trip Advisor, levou em conta o valor total referente à estadia de duas pessoas em hotel quatro estrelas, corrida de táxi, drink e jantar para ambas.

19 – Generosidade – 91º lugar do mundo

Posição: 91ª

Países analisados: 135

O Brasil é bastante egoísta. É o que mostra sua posição no World Giving Index de 2013, índice do instituto britânico Charities Aid Foundation (CAF) que mede a solidariedade dos povos.

20 – Igualdade de gêneros – 85º lugar do mundo

Posição: 85ª

Países analisados: 186

Segundo relatório Gender Inequality Index, estudo do Programa de Desenvolvimento da ONU, o Brasil ainda tem um longo caminho quando se trata da igualdade entre homens e mulheres na sociedade e no mercado de trabalho.

21 – Países pacíficos – 81º lugar do mundo

Posição: 81ª

Países analisados: 162

O Índice de Paz Global, divulgado pelo Instituto para Economia e Paz (IEP), analisou taxas de homicídios e gastos militares para avaliar os países mais pacíficos do mundo.

22 – Pessoas brilhantes – 20º lugar do mundo

Posição: 20º

Países analisados: 65

O Brasil tem 198 mil pessoas brilhantes em ranking feito pelo site Business Insider a partir de resultados do Pisa. Em números absolutos, a situação não é tão ruim. Já considerando tamanho da população, a situação é horrível.

23 – Bilionários – 33º lugar

Posição: Jorge Paulo Lemann (33ª)

Países analisados: ranking global

De acordo com a Forbes,  Lemann é o homem mais rico do Brasil, com patrimônio de US$ 17,8 bilhões. Apenas outros cinco brasileiros se juntam a ele no ranking das 100 pessoas mais ricas do mundo: Joseph Safra, Antonio Ermirio de Moraes, Dirce Navarro de Camargo e Eike Batista.

24 – Confiança no próprio governo – 13º lugar do mundo

Posição: 13º

Países analisados: 40

Estudo da OCDE mostrou que apenas 46% dos brasileiros dizem confiar no governo. Na líder Suíça, 77% da população diz o mesmo.

25 – Número de presos – 4º lugar do mundo

Posição: 4ª

Países analisados: todos, exceto Coreia do Norte, Eritreia, Guiné-Bissau e Somália

Com 548.003 detentos, 274 para cada 100 mil habitantes, o Brasil aparece entre os primeiros em pesquisa do Centro Internacional de Estudos Penitenciários (ICPS).

26 – Aeroportos da América do Sul – 4º lugar

Posição: Guarulhos, São Paulo (4º); Galeão, Rio de Janeiro (5º); Guararapes, Recife (7º); Congonhas, São Paulo (10º)

Países analisados: América do Sul

Pesquisa realizada pela consultoria Skytrax passou por mais de 395 aeroportos e registrou a opinião de 12,1 milhões de passageiros do mundo todo. O Brasil contou com 4 representantes entre os aeroportos mais bem avaliados da América do Sul.

27 – Felicidade – 24º lugar do mundo

Posição: 24ª

Países analisados: 156

Segundo o relatório de felicidade global, divulgado pela Organização das Nações Unidas (ONU), os países mais felizes estão também nos rankings de maior IDH e maior renda per capita.

28 – Melhores universidades – entre 226º e 250º do mundo

Posição: USP (entre 226ª e 250ª)

Países analisados: levantamento global

A USP deixou o grupo das 200 melhores universidades do mundo, segundo o Times Higher Education, e passou para a faixa das 226-250 colocadas como consequência das notas baixas em impacto de pesquisa e reputação.

29 – Desenvolvimento social – 18º lugar do mundo

Posição: 18ª

Países analisados: 50

Em vez de analisar indicadores econômicos, o Índice de Progresso Social, feito pela Social Progress Imperative, se baseia em dados sociais e ambientais para medir o progresso.

30 – Qualidade de democracia – 44º lugar do mundo

Posição: 44ª

Países analisados: 165

O Brasil integra o que a Economist intelligence Unit (EIU) chama de “democracias com falhas”. “Há deficiências significativas aspectos como problemas de governança, cultura política subdesenvolvida e baixos níveis de participação política”, diz a entidade.

31 – Cidades caras para manter carro – 2º lugar do mundo

Posição: São Paulo (2ª)

Cidades analisadas: 14 grandes cidades mundiais

Estudo da Economist Intelligence Unit (EIU), unidade de pesquisas da Economist, considerou o preço médio de aquisição de carros novos e a manutenção deles por três anos.

32 – Países mais verdes – 77º lugar do mundo

Posição: 77ª

Países analisados: 178

No ranking Environmental Performance Index (EPI), das Universidades de Yale e Columbia, o que conta é como os países cuidam dos seus recursos naturais. O Brasil somou 52.97 pontos de 100, bem distante da líder Suíça, com 87.67 pontos.

33 – Juro real – 1º lugar do mundo

Posição: 1ª

Países analisados: levantamento global

Com o aumento de 0,5% na taxa Selic, anunciado pelo Banco Central em janeiro deste ano, o Brasil continua o maior pagador de juros reais do mundo.

34 – Velocidade de internet – 84º lugar do mundo

Posição: 84ª

Países analisados: ranking global

Estudo da Akamai divulgado este ano atestou que a velocidade média da Internet no país, de 2,7 Mbps, é menor que a média global de 3,6 Mbps.