Um vídeo surpreendente mostra um peixe-dourado ajudando seu amigo com deficiência a alcançar o alimento que flutua na superfície de um aquário.

O tutor dos peixes notou que o animal tinha desenvolvido um problema de mobilidade há vários meses, mas de alguma forma não morreu de desnutrição no fundo do recipiente.

Ele decidiu filmar a dupla na hora da alimentação e descobriu algo notável: o companheiro do peixe doente pode ter ajudado a mantê-lo vivo.

Em um editorial do New York Times, Jonathan Balcombe, diretor de senciência animal do Instituto de Ciência e Política da Humane Society, sugere que peixes são mais complexos do que acreditamos e que apenas agora começamos a compreender isso:

“Como um biólogo especializado no comportamento e emoções de um animal, passei os últimos quatro anos explorando a ciência sobre a vida interior dos peixes. O que eu descobri indica que subestimamos grosseiramente estes diversos vertebrados marinhos fabulosos. Há evidências que levam a uma conclusão inescapável: os peixes pensam e sentem”.

E talvez até experimentem sentimentos em relação aos membros da espécie também, segundo o The Dodo.