Como vocês sabem, as últimas semanas foram uma loucura por aqui. No mês passado, os protestos na Ucrânia derrubaram o presidente aliado ao Kremlin e deram início a uma onda de nacionalismo ucraniano que ameaçava desestabilizar os interesses econômicos e militares da Rússia na região. É claro, eu não poderia simplesmente ficar parado e deixar que isso acontecesse, então eu intervim e ordenei uma enérgica tomada da península de importância estratégica da Crimeia — um território com laços históricos com a Rússia que a nossa nação há muito havia desejado. É certamente uma tarefa nada fácil anexar à força toda uma província contra a vontade de um outro país, então eu só queria agradecer a vocês — as nações da Europa ocidental, o governo dos Estados Unidos, e realmente toda a população mundial como um todo — por serem tão legais sobre isso tudo.

Sério, vocês foram incríveis. Todos vocês. E eu realmente aprecio isso.

Para ser honesto, eu temia uma grande briga por causa disso. Quando vocês condenaram inicialmente a tomada da Crimeia como claramente ilegal e em violação da constituição ucraniana — o que absolutamente foi, aliás — eu temi pelo pior. Mas então todo mundo parou de fazer qualquer coisa que fosse de fato evitar uma tomada de terras patrocinada por um país, e eu só pude pensar, “Uau, esses caras são bem tranquilos!” Foi realmente um alívio quando vocês deixaram tudo rolar da maneira que foi.

Acredite em mim, eu sei que deve ter sido difícil ficar de braços cruzados e não fazer nada enquanto um forças militares estrangeiras invadiram um de seus aliados, ou simplesmente sentar e assistir enquanto montávamos a farsa completa de um referendo — veja bem, um referendo supervisionado pelos militares russos, carregados de armamento pesado — e então usávamos como base para uma “anexação secreta”.Também não deve ter sido fácil que continuássem tão legais quando mandamos comandos para invadir o quartel-general naval ucraniano localizado na Crimeia. Mas vocês não criaram alarde sobre nada disso, e eu não poderia estar mais grato por isso. Isso tuso fez o meu trabalho muito, muito, muito mais fácil.

E eu totalmente estou devendo essa a vocês, sem dúvidas.

Agora, é claro que eu entendo que vocês da comunidade internacional tiveram que emitir algum tipo de resposta às minhas ações. Afinal, vocês tinham que ao menos parecer que estavam tentando lutar pelo povo da Ucrânia enquanto nós mandávamos veículos armados para o país deles, e essencialmente tornamos um povo inteiro, total e perfeitamente, impotente à face dos interesses nacionais de um país maior e mais forte. E eu entendo totalmente isso. Mas eu só estou aliviado que vocês escolheram uma resposta tão inofensiva quanto um ser humano pode fazer, sem repercussões tangíveis sobre mim ou meu governo. Vocês não têm ideia de quanto estresse isso tirou de minhas costas, posso dizer até que salvaram a minha vida.

Eu também compreendo que mais para frente, vocês vão achar necessário realizar reuniões de alto nível da Otan, fazer declarações da ONU, suspender a cúpula do G8 deste verão, esse tipo de coisa. Também entendo que tudo isso é só um procedimento formal que vocês precisam seguir, porque, realmente, neste ponto vocês já colocaram as cartas na mesa. Então, eu só quero agradecer a vocês antecipadamente — honestamente, do fundo do meu coração — por garantirem que eu possa me concentrar em fazer o que eu quiser em qualquer região anteriormente soviética que apresente valor geopolítico, militar ou econômico à Rússia, sem ter que me preocupar nadinha em sofrer quaisquer consequências. Obrigado por deixarem isso 100 por cento claro para mim.

Há uma coisa que eu quero dizer, no entanto, e eu me sinto um pouco bobo ao admitir isso, mas houve um momento antes em que eu senti, de fato, um pouco de medo. Por um enevarnte segundo, eu pensei que vocês haviam imposto sanções à economia nacional russa como um todo, mas depois eu vi que as sanções foram apenas dirigidas a alguns dos meus conselheiros e a alguns bancos que não me importam. Rapaz, um grande alívio!

Sério, isso tudo tem ido tão bem que o meu único arrependimento é não ter descoberto antes que vocês eram tão agradáveis quando se trata de golpes militares hostis. Me faz pensar em por que demorei tanto para fazer isso.

Mas, vocês sabem, eu realmente não deveria ter ficado surpreso, dado o quão legais vocês foram em relação a toda a minha ficha de longa data de manipulação de grupos políticos da oposição e jornalistas com “liberdade de pensamento”, todos aqueles protestos pelos direitos dos homossexuais que surgiram no ano passado, ou até mesmo toda aquela provação em 2008 quando tentamos tomar as regiões separatistas da Geórgia por força. Só de saber que sou livre para fazer as coisas do meu jeito — que posso ignorar totalmente quaisquer leis domésticas ou internacionais e quaisquer princípios báscios de direitos humanos — já se afastam toneladas de estresse envolvido em tomar decisões importantes.

E, a propósito, se vocês algum dia precisarem que eu dance a mesma música que vocês e aja como se essas pequenas sanções da Crimeia e essas advertências retóricas são no mínimo um pouco ameaçadoras, finja raiva instituindo proibições de entrada para legisladores e autoridades norte-americanas, ou emita alguma resposta firmemente redigida para as condenações da comunidade internacional, eu estou completamente de acordo com isso. Eu entendo o jogo de idas e vindas que estamos jogando — aquele em que vocês dizem que estão realmente considerando tomar atitudes reais contra mim. Sério, participar desse tipo de ardil é o mínimo que eu posso fazer, visto tudo que vocês fizeram por mim.

Eu só espero que, mais para a frente, vocês todos continuem sendo tão agradáveis e acolhedores — especialmente em relação ao que eu tenho planejado para o resto da Ucrânia ao longo dos próximos meses.

Vladimir Putin.

Aviso: O texto acima se trata de uma obra satírica, escrita em inglês para o site de humor The Onion, sem autoria verdadeira do presidente russo. O texto foi traduzido e adaptado pela redação do QGA.