Um jovem, na Bahia, acabou indo parar no presídio da Mata Escura por furto na última semana. Os objetos roubados? 3 livros.

O caso tem causado comoção e mobilizado muita gente em defesa do rapaz.

Segundo o site Varela Notícias, o jovem identificado como Alex Santana dos Santos, de 19 anos, foi pego tentando furtar 3 livros de ficção na Livraria Cultura em Salvador.

Alex informou que queria os livros e viu no furto uma das poucas opções para adquiri-los já que sua mãe não tinha condições de comprá-los. Ele confessou ainda o roubo de cerca de dez livros, todos para estudar.

Muitos na região acabaram se solidarizando com a situação do garoto, buscando meios de conseguir o dinheiro da fiança, equivalente a dois salários mínimos, já que a família não tem condições [Irônico a forma como esperam que uma família que não pode comprar 3 livros, possam pagar uma fiança de dois salários mínimos, não?].

Alex foi enviado para o presídio da Mata Escura, onde permanecerá junto a outros presos, até mesmo alguns considerados de alta periculosidade, caso a fiança não seja paga.

São inúmeros os debates que podem ser abordados partindo dessa notícia. Podemos falar aqui da punição do rapaz, enquanto a “benção” da impunidade cai sobre poderosos vilões que cometem crimes MUITO mais graves. Podemos falar da injustiça e da situação em que muitas famílias se encontram e do incentivo a cultura no país, que levam um jovem a roubar para poder estudar.

Deve-se deixar claro que não incentivamos ou apoiamos o furto. Mas infelizmente, este é um dos muitos casos em que simplesmente basta escolher uma direção e falar sobre as injustiças que testemunhamos frequentemente.

Em alguns aspectos, muitos até chegaram a comparar o caso ao do livro A Menina que roubava livros, no qual a protagonista Liesel, em meio ao terror do nazismo, encontra forças e um propósito de sobrevivência nos livros.

Ao menos, podemos ver a comoção e mobilização de outras pessoas para com Alex. Até mesmo nos comentários do site Varela Notícias, os leitores se oferecem para pagar a fiança e até mesmo para defender o jovem como advogado.