Ser chato não ajuda em nada. Nunca. Muito menos na paquera.

Foi o que mostrou o estudo feito por pesquisadores americanos e israelenses. Eles mostraram a voluntários a foto de uma pessoa e pediram a eles para interagir virtualmente com ela. Todos viram a imagem da mesma mulher ou homem (era sempre alguém do sexo oposto), mas a conversa foi manipulada. Em alguns casos, os cientistas pediram ao indivíduo para dar respostas mais chatas ao voluntário – ao invés de dizer frases do tipo “deve ter sido uma época difícil para você”, elas replicavam algo como “ah, não me parece tão ruim assim”.

Depois da interação, todos analisaram a atratividade e feminilidade ou masculinidade do novo amigo. Quando as mulheres foram legais, os homens tendiam a achá-las mais sexualmente atraentes e femininas. Já entre as mulheres nada é tão simples assim e essa simpatia toda pode não ser legal.

“Algumas mulheres podem interpretar essa atenção negativamente e se sentir desconfortáveis com a aproximação de alguém. Esses sentimentos podem acabar com a atração sexual”, explica Gurit Bernbaum, um dos autores da pesquisa. “Já para outras mulheres, um estranho responsivo pode parecer carinhoso e, portanto, um parceiro em potencial”.