Na madrugada desta terça (24) a Índia entrou para o seleto clube de países que chegaram à órbita de Marte.

A inserção da sonda MOM (Mars Orbiter Mission) na órbita marciana é a maior conquista do acelerado programa espacial indiano — que já conseguiu chegar à órbita da lua e desenvolve satélites ultratecnológicos — até hoje.

Não bastasse o feito, o país foi o primeiro a completar a viagem na primeira tentativa, ao custo de “apenas” 74 milhões de dólares.

Parece muita grana, mas em se tratando de programas espaciais, é uma pechincha: não passa de um décimo do dinheiro que a Nasa gastou para lançar a nave Maven, que também acaba de chegar.

Fazendo história

“Fizemos história hoje”, disse o primeiro-ministro indiano Narendra Modi em discurso sobre o feito. “Ousamos nos lançar ao desconhecido e conquistamos algo quase impossível”, declarou.

A Índia é o primeiro país asiático a chegar a Marte. Seus principais rivais na corrida espacial, a China e o Japão, já fizeram tentativas, mas não conseguiram concluir a inserção na órbita marciana.

Com o sucesso da missão, a agência espacial indiana se junta à europeia, à americana e à russa ao prestigioso rol marciano.