Em 1983, Steve Jobs previa que as pessoas passariam mais tempo na frente de computadores do que em carros, que a distribuição de softwares poderia ser feita por telefone e que computadores portáteis funcionariam via rádio, entre outras coisas

Foto tirada do Tubo do Tempo de Aspen no dia em que ele foi enterrado, em 1983.

Naquele ano, Steve Jobs e outros participantes da Conferência Internacional de Design, que aconteceu em Aspen, aproveitaram o momento para eternizar objetos e colocaram eles dentro de um grande tubo que ficou conhecido como “Tubo do Tempo de Aspen”.

No último dia 19, esse tubo foi encontrado por por uma equipe de televisão que procurava o objeto, desaparecido há 30 anos. Dentro do tubo, o gênio da informática teria guardado fotos, um mouse e até cervejas.

Segundo informações do site CNET, Jobs resolveu deixar no tubo um mouse usado por ele em um dos primeiros computadores feitos pela Apple, o Lisa. Foi por conta disso que o tubo passou a se chamar “a cápsula do tempo de Steve Jobs”.

Ainda segundo o site, a organização do evento pretendia recuperar a cápsula em 2000, mas a escavação acabou não realizada por motivos não divulgados. Quando resolveram encontrá-la, não conseguiram determinar a localização exata. Nesta quinta-feira, uma equipe do programa “Diggers” (Escavadores), do canal da National Geographic, encerrou a caça ao tesouro de Jobs, localizando a tal cápsula.

O mouse do cofundador da Apple ainda não foi encontrado. A equipe do programa explicou que ainda há poucas informações sobre o que, de fato, está dentro da cápsula, uma vez que existem muitos objetos enterrados. O desafio agora será catalogar todos os utensílios, descartando os que já estão comprometidos e preservando aqueles que estão em boas condições.

Ainda de acordo com a CNET, a cápsula está recheada de fotografias da época, além de seis latas de cerveja. Naquele ano, o presidente da conferência, Harry Tague, brincou com a bebida: “O cara que escavar tudo isso estará suado e irá apreciar uma cerveja”.