Hoje acordei com um email do artista cubano Erik Ravelo. Erik desenvolveu uma série forte e não muito fácil de engolir, para denunciar toda a espécie de abusos infantis. E hoje teve sua página inteira bloqueada pelo Facebook.

E por mais que eu esteja ciente da política burra e careta de censura do Facebook (nesse momento a minha conta pessoal está bloqueada pela décima segunda vez), eu fico terrivelmente incomodada ao enxergar o panorama.

O quão paradoxal é excluir de um ambiente comum um cara que está fazendo uma denúncia de coisas ruins que acontecem do seu lado? O Erik, que tinha conquistado 20 mil likes pela qualidade do seu trabalho, perdeu um canal importante de comunicação com o seu público. Parece que o Facebook está analisando se a página dele volta ou não ao ar.

O pior cego é o que não quer ver que a Idade Média é logo ali.
E isso também é culpa sua.