Em comemoração ao Dia Mundial do Livro, 23 de Abril, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) divulgou um estudo em que se constata que tecnologias móveis, tais como telefones-celularese tablets, ajudam a aumentar o hábito pela leitura.

O estudo tem como sustentáculo uma pesquisa feita com 4 mil pessoas de sete países em que o analfabetismo atinge mais de 40% da população: Etiópia, Gana, Índia, Nigéria, Paquistão, Uganda e Zimbábue. Como em tais países o acesso a livros não é tão simples, vem-se aumentando consideravelmente o número de pessoas que usam celulares como principal meio de leitura. Vai-se além: para os entrevistados, a leitura em celulares é mais agradável e fácil; os aparelhos transformam-se em bibliotecas móveis e compactas.

Segundo o estudo, intitulado de Leitura na Era Moderna, vários pais têm o hábito de ler histórias infantis para seus filhos nos aparelhos móveis. Além disso, foi revelado que pessoas recém-alfabetizadas e semianalfabetas pesquisam no próprio celular textos apropriados para o seu nível de leitura.

Um dos motivos cruciais para o fenômeno da leitura digital é a diferença entre preços de e-books e de livros físicos. Como exemplo, um livro físico no Zimbábue custa em média U$16, enquanto que livros digitais saem a 6 centavos americanos.

O projeto contou com parcerias da Worldreader– uma ONG que investe na difusão de livros digitais em países com baixo índice de leitura – e da empresa de telefonia Nokia.

Estatísticas

Entre os adultos, constatou-se que há mais leitores homens do que mulheres (aproximadamente 3 homens para 1 mulher); não obstante, o sexo feminino é o campeão da leitura: enquanto homens leem em média 25 minutos por mês, elas aplacam mais de 200 minutos para o mesmo período de tempo.

Ademais, verificou-se entre entrevistados que homens leem 3 ou 4 vezes/mês, por cerca de 10 minutos a cada vez. Já as mulheres sobem o número para 11 vezes/mês, gastando 19 minutos em cada leitura.

Para a UNESCO, tais diferenças são interpretadas pelo fato de que, enquanto 51% dos homens entrevistados apresentavam curso superior, mulheres graduadas ficam na frente, emplacando 63% das entrevistadas.

As temáticas mais procuradas para leitura em aparelhos móveis são, em ordem decrescente: sexo; bíblia e biologia.

Conclusão

Seis das 7 bilhões de pessoas que habitam a Terra já têm acesso a telefones-celular. Já na China, aproximadamente 25 milhões de pessoas leem somente pelos aparelhos eletrônicos. Constata-se que a tendência de leitura em aparelhos digitais só tende a aumentar em todo o mundo.