E se, por acaso o Facebook, ‘tomar’, literalmente, conta do mundo? E se a rede social onipotente existisse na época em que viveram o artista gráfico holandês M.C. Escher ou o pintor espanhol de Salvador Dalí e fosse, em grande parte, fonte de suas inspirações?

Com apenas uma resposta para as duas perguntas feitas acima, as ilustrações obscuras do polonês Pawel Kuczynsky, especializado em sátiras surreais, pode ser um golpe duro para grande parte dos usuários da rede social.

A série apresenta o logotipo icônico do Facebook, com toda a sua glória e prestígio, servindo como câmera de vigilância, arma ou submarino, entre outro objetos. A ideia, segundo Kuczynsky, é refletir a crescente obsessão da sociedade com a criação da rede social.